quinta-feira, 31 de maio de 2012

A Braga Romana, no MAIS MINHO.pt

Terminou este domingo mais uma edição anual da Feira Romana, que de ano para ano tem crescido exponencialmente. A feira realiza-se em toda a área histórica da cidade e procura buscar as raízes da cidade com origem romana, mostrando tradições da época e havendo espaço para a pedagogia. Na edição deste ano, a feira contou com um oleiro que produz cerâmicas a partir de matéria-prima utilizada na altura: a Terra Siggilata.
O material sigilato era considerado o melhor no que respeita à qualidade e abundava em Roma, onde estava o Imperador. Segundo o bracarense Evandro Lopes, estudioso sobre a história da cidade, trata-se da "maior fonte económica da altura naquela civilização", sendo que a profissão de oleiro era das mais importantes nas sociedades.
João Lourenço, oleiro de Barcelos que participou na edição 2012 da Braga Romana, explicou que "a Terra Siggilata era um revestimento feito nos materiais da altura, que servia como impermeabilizante". "A Terra Siggilata foi, durante muitos anos um segredo, que passava de pais para filhos. O Museu D. Diogo de Sousa tem em exposição peças originárias importadas deste material", refere João Lourenço.
Segundo o oleiro, "a Siggilata é obtida por decantação da argila pura, onde são separados os inertes (material pesado) e a água, e entre os dois há uma pequenina capa, que será extraída para dar origem a este material cerâmico". A esta fina camada João Lourenço apelida de "flor do barro", sustentando que "para serem prodizidas peças com este material é necessário um conhecimento e domínio das técnicas adequadas, para não se correr o risco de se caír numa imitação básica".
Por outro lado, são apontadas algumas críticas à falta de interesse pela vertente pedagógica da feira, que retrata a época romana da cidade. Evandro Lopes afirma que "faz falta alguém que explique a importância das profissões e dos métodos de trabalho da altura", sendo que poderá ser "esta parte pedagógica que pode marcar a diferença neste tipo de feiras, não correndo o risco de as vulgarizar", acrescentou João Lourenço, que se demonstra muito insatisfeito com a falta de atenção prestada pelos professores que passam com os alunos nas feiras mas que "apenas olham para as barraquinhas que vendem pulseiras em deterimento das barraquinhas de demonstração das profissões da altura".
Quanto ao planeamento da Feira Romana, Evandro Lopes dá "os parabéns ao Departamento de Cultura da Câmara Municipal de Braga, pela iniciativa de criar uma secção onde está alguém que confeciona a lã, e um oleiro e um ferreiro, que foram convidados a estar aqui precisamente com um sentido didático de demonstrar às pessoas como é que eram estas atividades há dois mil anos". No entanto, Evandro Lopes sublinha as críticas aos responsáveis pelos alunos que visitaram a feira. "Os agentes de educação é que não estão sensibilizados e não tiram partido disto", reitera o bracarense, que também discorda da imagem do imperador no desfile inicial do certame, no qual Rui Madeira veste a pele de imperador de Roma. "O desfile começa com uma grande asneira, porque há 2200 anos o imperador nunca veio a Braga porque nunca saía de Roma, ao contrário do que Rui Madeira faz acreditar às crianças".

O Rally ás Beiras no MAISMINHO

Cem anos depois Braga vai voltar a ter um rally com o circuito Braga-Serra da Estrela-Braga. Esta iniciativa, levada a cabo pela empresa OneDay, serve para festejar precisamente o centenário desta prova, organizada por altura do São João. A prova vai ser realizada nos dias 15 e 16 de Junho.
No Largo da Câmara Municipal de Braga irá ocorrer a chegada dos participantes e a atuação da banda militar, no dia 16 de Junho, cerca das 20h20, estando a saída prevista na madrugada do mesmo dia, a partir do Campo da Vinha, cerca das 6 horas, em direção à Serra da Estrela.

"Temos três câmaras confirmadas que vão colaborar connosco: Moimenta da Beira, Manteigas e Vizela, havendo a hipótese ainda de a autarquia de S. Pedro do Sul e da Régua ou Mesão Frio também colaborarem e prestarem apoio aos participantes", refere Evandro Lopes, um dos responsáveis pela organização do evento. Atualmente a prova "é mais turistica e pretende recriar aquilo que ocorreu há cem anos, em que aí sim, houve competitivismo, participando nove concorrentes, quatro de Lisboa, quatro do Porto e um de Viseu", explica Evandro Lopes, que descarta a componente desportiva na recriação do evento.
A iniciativa envolve cerca de 20 municípios, de quatro regiões: Minho, Trás-os-montes e Alto Douro e as Beiras. SegundoCarlos Fernandes, da empresa organizadora do evento, OneDay, "trata-se de uma logística bastante complicada, mas nada que não esteja a ser ultrapassado". "Tentamos envolver uma componente turística em todo o projeto, porque estamos a falar de vinte municípios por onde a prova irá passar, com culturas e tradições totalmente diferentes", refere Carlos Fernandes, adiantando que o evento "está a correr dentro das espectativas, com metade dos objetivos propostos cumpridos".
Há cem anos, dos nove carros que competiram na prova, apenas quatro chegaram à meta. Nos registos da época, sabe-se que não houve nenhum acidente com feridos e que apenas se tratou de avarias nos carros.
No dia 16 de Junho, há portanto uma iniciativa que vai animar ainda mais o S. João de Braga.

domingo, 27 de maio de 2012

Visita ás 7 Fontes - Os achados romanos

Poderá ser vistas mais fotos no Face de Evandro Lopes
video

Hoje houve visita ás 7 Fontes , com novidades á mistura

As novidades são as de que foram encontradas pelos arqueologos vestigios de construções romanas. Ao que parece, uma Imobiliária de Braga ( creio que Minho Verde) proprietaria dos terrenos,queria (à passo sêco) construir lá qualquer coisa e foi chamado ao local a unidade de Arqueologia não sei se a camarária ou a universitária e foram feitos esses achados. Segundo aporei no local, esta entidade já tarda em dar publico conhecimento do que se trata a descoberta.

video

Programa das Antoninas dos Bravos da Boa Luz - Braga 2012

Braga - Várias

quinta-feira, 24 de maio de 2012

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Balão lançado em 1917 pelos alunos do Colégio S. Tomás de Aquino de Braga

Nota; Caro Francisco, a titulo de curiosidade anos mais tarde nasci nesta casa. Nesta imagem já havia aqui sido postada. Abç

Conde D. Henrique, morreu há 900 anos

Caro amigo ( para a próxima diz o teu nome), isto é uma publicação minha de 1989 com o nome Noticias do Condado, que foi feita em parceria com o Prof. Gabriel Machado., Abç

Dos leitores

Nota: Caros amigos , dentro do possivel vou tratar os vossos pedidos. Amigo Francisco, tenho uma imagem de um balão de ar quente lançado em Braga na 1º dezena de anos do sec. XX, tenho de a procurar, quanto ao anónimo sobre o  Conde é já de seguida é uma postagem antiga aqui já postada
2 comentários:
  1. Evandro, escapou-te hoje falar sobre os 900 anos do desaparecimento do Pai da Fundação, sepultado na Sé de Braga. Que tens para dizer?
    ResponderEliminar
  2. Boa noite.
    Com base neste registo da primeira experiencia do lançamento do primeiro balão em Braga nas festas de S. João, gostaríamos de saber se existe alguma imagem de arquivo em relação a este balão ou algum outro desta época.
    Agradecendo toda a colaboração, ficamos a aguardar vossa resposta.
    FRancisco Silva
    TURMA LUSA DE LISBOA (Equipa tradicional baloeira)
    n/ e-mail: turma.lusa@hotmail.com
    ResponderEliminar

domingo, 13 de maio de 2012

Primeira experiência em Braga com um Balão de ar quente. S. João de 1891

Para memória futura;

Parabéns HC BRAGA!!!

Depois do ABC (andebol) e SC Braga (futebol), a Cidade de Braga vê mais um dos seus clubes chegar a uma Final Europeia de Clubes.

Quantas podem dizer o mesmo?